Fallen Idol – Mourn the Earth (2018)

Poucas bandas conseguem se sobressair após o lançamento de um grande disco. E este, felizmente, é o caso da paulista Fallen Idol  que, após o lançamento do grande “Seasons of Grief” apresenta seu novo material: o ainda melhor “Mourn the Earth”. lembrando que “Seasons of Grief” foi simplesmente sensacional.

Para quem é seguidor da banda pôde notar a evolução em tão pouco tempo de estrada. E a prova disso é sentida em “Witches of Lucifer”. Essa introdução, incorporada à música, mostra toda a extrema coesão dos músicos. Agora, quando a coisa começa “de vez”, somos agraciados com uma das melhores músicas compostas pelo trio. Destacamos também  a qualidade dos vocais de Rodrigo Sitta, assim como o timbre da bateria do grande Ulisses Campos.

A  faixa seguinte, “Time to Mourn the Earth” é prova viva dessa qualidade em relação ao vocal e é claro o timbre na bateria. Esse início quebrado, serve de condução para que Rodrigo Sitta possa demonstrar seu outro talento: os riffs inspirados de guitarra. O estilo da banda é conhecido pelos momentos marcantes do álbum. E riffs são a marca registrada desse trabalho incrível da banda.

Notem leitores e ouvintes :  Com apenas duas faixas dissecadas e todos os méritos para as guitarras e bateria já foram decantados em verso e prosa. Será que teremos mais surpresas agradáveis?

Item primordial quando o assunto é o “Heavy/Doom Metal” e mais ainda quando falamos de um “power trio”, o baixo merece um parágrafo à parte.  Marcio Silva dá conta do recado no baixo, temos aqui as linhas de baixo mais bem executadas do metal nacional atual e isso não é exagero se você realmente prestar atenção. Realmente a Fallen Idol forma um grande time no que se diz respeito à harmonia e entrosamento musical.

Só um time em tamanha harmonia e com extrema qualidade seria capaz de produzir faixas como “Wait”, a rápida “Shattered Mirror”  e a bela “Chrisalysm” onde o baixo está simplesmente matador e sublime.

Essa serve de elo para outro momento de destaque do álbum. “Lucidity” mostra mais uma vez que a banda atingiu uma evolução impressionante com o passar dos anos e especialmente nesse álbum. Tudo aqui é intenso e denso.

“Sacred Place” fecha  um dos melhores lançamentos que o underground já produziu. Podemos inclusive comparar aos maiores clássicos de bandas como Candlemass e Solitude Aeturnus por exemplo.  “Mourn the Earth” figura facilmente ao lado destes clássicos.

Nota : 9,0 com muito louvor e honra .

 

Resenha por Marcelo Santos

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *